Telemedicina: confira dicas para tirar o melhor proveito das consultas à distância

Atendimentos feitos por voz e vídeo se tornaram tendência em diversas especialidades.

Publicado em 24/06/2024 por Rodrigo Duarte.

Anúncios

A pandemia de Covid-19 acabou provocando algumas mudanças em termos de comportamento e de organização social nos mais variados setores. Elas acabaram, em muitos casos, não se confirmando como definitivas, mas acabaram criando caminhos e opções que podem ser exploradas.

Telemedicina: confira dicas para tirar o melhor proveito das consultas à distância

Um exemplo claro é o do tele trabalho, ou mais conhecido como Home Office. Muitas pessoas acreditaram que o isolamento social acabaria se tornando o acontecimento que faltava para que as empresas passassem a adotar o método como padrão em muitas áreas. O que vimos ao final do período de isolamento é que muitas empresas que poderiam manter suas atividades remotas optaram por voltar ao presencial, claramente em um movimento que está muito mais relacionado a escolhas culturais do que questões tecnológicas ou mercadológicas.

Um outro movimento que também ganhou força durante a pandeia foi o da telemedicina. Mesmo já existindo há alguns anos, inclusive sendo adotado pelo Sistema Único de Saúde brasileiro em determinadas especialidades, o atendimento à distância acabou se tornando a alternativa mais segura durante os meses de isolamento.

Hoje em dia, essa acabou se tornando uma possibilidade adotada por diversas empresas, operadoras de planos de saúde e outros agentes do sistema de saúde. Hoje em dia os pacientes ainda contam com algumas possibilidades de atendimento remoto pelo SUS, mas encontram outras empresas privadas que permitem essa consulta remota.

Principais vantagens da telemedicina

Para os pacientes, a telemedicina acaba sendo interessante em dois aspectos: o primeiro está relacionado ao tempo e a agilidade. Nos casos em que este tipo de consulta pode ser aplicado, as pessoas evitam ter que se deslocar até os centros de atendimento e conseguem fazer uma consulta e receber receitas e encaminhamentos de uma forma muito mais rápida.

O segundo aspecto é a economia que o paciente acaba tendo com o deslocamento. E como estas consultas também podem ter um custo menor para os operadores, sejam clínicas, hospitais ou médicos particulares, as pessoas que pagam por este serviço podem acabar encontrando valores mais acessíveis.

O que o paciente encontra em uma consulta através da telemedicina?

A consulta feita de forma remota geralmente é feita com o principal objetivo do paciente receber aquelas que devem ser a primeiras orientações médicas para o tratamento de um determinado sintoma. O atendimento remoto também acaba sendo bastante utilizado no chamado momento pré-clínico.

Algumas consultas de rotina também podem acabar sendo feitas na telemedicina, especialmente quando o paciente já possui um relacionamento com o médico em questão, buscando apenas atualizações sobre a sua saúde. Neste ponto, é possível ter acesso a métodos médicos para monitoramento da saúde, sendo possível até mesmo receber receitas médicas para medicamentos ou ainda encaminhamentos para exames e outros atendimentos médicos que possam ser necessários.

Dicas para aproveitar melhor a consulta por telemedicina

Verifique equipamentos e conexões

Antes de mais nada, é muito importante verificar os equipamentos que serão utilizados durante a consulta e também a conexão. Normalmente os atendimentos estão sendo feitos pela internet, em alguns casos somente por voz em outros casos com o apoio de vídeo.

Tudo isso deve ser checado e testado com antecedência, especialmente quando as pessoas tiverem alguma dificuldade com a tecnologia. Também é preciso se certificar de que será necessário o acesso a um determinado sistema ou se a consulta vai se feita através de aplicativos de terceiros.

Fale de forma clara e objetiva

A clareza na comunicação é essencial nestes casos. Por isso, é importante que o paciente fale de forma clara e objetiva o que ele está sentindo. Além disso, é muito importante seguir uma ordem cronológica e lógica para explicar os sintomas. É importante que, antes de entrar no atendimento, o paciente repasse consigo mesmo as informações que serão importantes.

Para os médicos, é fundamental saber quando os sintomas começaram, com qual frequência eles ocorrem, se aconteceu algum tipo de mudança, etc. Também é muito importante para os médicos os medicamentos que podem estar sendo consumidor.

Anote e repasse dados de monitoramento

Dados de monitoramento que o paciente possa estar fazendo em casa devem ser anotados e repassados também neste momento, tais como temperatura do corpo, pressão arterial, etc. Esses dados devem sempre ser mantidos, anotados e repassados em cada nova consulta, especialmente quando os pacientes tiverem que mudar de médico. E lembrando que estes dados são sensíveis e devem ser compartilhados somente com o médico, utilizando sistemas de comunicação confiáveis. 

ESCRITO POR: Rodrigo Duarte - Jornalista formado pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), com especialização em Marketing Digital.
Faça login
ou
Criar conta
ou
Recuperar acesso

Informe o seu e-mail para que possamos enviar novas instruções de acesso.